PREVALÊNCIA DE ALOPECIA EM PACIENTES PÓS-COVID-19 - REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

  • Lays Raquel Santos de Siqueira Faculdade de Integração do Sertão – FIS
  • Maria Célia Dantas Pereira Faculdade de Integração do Sertão – FIS
Palavras-chave: Alopecia, Covid-19, Fisioterapia, Folículo Piloso, Terapia

Resumo

Introdução: Os efeitos dermatológicos causados pelo COVID-19, gerou algumas queixas recorrentes entre pessoas que contraíram o novo coronavírus. Dentre as afecções acometidas no couro cabeludo está a alopecia, doença crônica, autoimune, não cicatricial, sem cura, que pode afetar ambos os sexos, crianças ou adultos. Essa patologia tem sido um sinal de alerta à saúde, por estar correlacionado a uma diminuição das taxas imunológicas, podendo desencadear outras patologias, inclusive as autoimunes, como Asma, Vitiligo, Atopia, Doenças da Tireoide, como também Depressão e Ansiedade. Objetivo: Analisar a prevalência de alopecias em pacientes que contraíram a COVID-19 e os recursos utilizados para tratamento. Metodologia: Foram analisados artigos do ano de 2019 a 2023, nos idiomas espanhol, inglês e português, de caráter comparativo. Resultados: Após análise de dados, observou-se que a Alopecia Androgenética (AAG), Alopecia Areata (AA) e o Eflúvio Telógeno (ET), são mais frequentes em pacientes infectados pela COVID-19, alguns ainda hospitalizados, outros mais tardio com até 4 meses pós infecção. Vale ressaltar que existem tratamentos desde produtos tópicos, injetáveis e eletrotermofototepia. Conclusão: Este estudo tornou evidente que existe prevalência nos casos de Alopecia associado ao COVID-19. Ainda ressaltou a eficácia dos recursos terapêuticos utilizados na prevenção e tratamento antialopecia.

Publicado
2024-06-18
Como Citar
1.
Santos de Siqueira LR, Dantas Pereira MC. PREVALÊNCIA DE ALOPECIA EM PACIENTES PÓS-COVID-19 - REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. RMS [Internet]. 18º de junho de 2024 [citado 12º de julho de 2024];6(2):195-01. Disponível em: https://revistamultisertao.com.br/index.php/revista/article/view/735