ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FRENTE AS ALTERAÇÕES PSICOLÓGICAS OCORRIDAS NO PUERPÉRIO

  • Vitória Farias de Oliveira Faculdade de Integração do Sertão – FIS
  • Viviane de Souza Brandão Lima Faculdade de Integração do Sertão – FIS
Palavras-chave: Enfermagem, Puerpério, Transtorno mental

Resumo

Introdução: O puerpério é um período marcado por grandes transformações na vida da mulher, entre elas a psicológica, onde a puérpera fica mais predisposta a ocorrência de transtornos mentais pelas mudanças no cotidiano. Objetivo: Descrever a assistência de enfermagem frente as alterações psicológicas ocorridas no puerpério. Metodologia: refere-se a uma abordagem descritiva, transversal e quantitativa, realizada com 11 enfermeiros da atenção básica do município de Salgueiro-PE. Resultado: Durante o estudo foi possível observar que poucos profissionais têm conhecimento sobre o baby blues e nenhuma vivência sobre o mesmo, quando na verdade essa alteração é bem mais comum nas mulheres no pós-parto e quando se tem a sintomatologia prolongada pode-se investigar uma possível evolução para depressão pós-parto (DPP), se comparando com a psicose puerperal diferenciando apenas pelo raro aparecimento no puerpério, enquanto a DPP é mais vivenciada, e a que mais se tem conhecimento entre os enfermeiros. Conclusão: Diante do estudo em questão fica explicitado o quanto o enfermeiro é importante para assistência desses transtornos, uma vez que este possui uma relação estreita com a mulher, que precisa ser vista de maneira holística, desde seus hábitos até suas crenças, o profissional deve acolher e incentivar que a mulher fale livremente, principalmente se possuir fatores de risco que levem ao surgimento dessas alterações para que se consiga intervir em tempo hábil, diminuindo as chances de maiores agravos.

Publicado
2024-02-21
Como Citar
1.
Farias de Oliveira V, de Souza Brandão Lima V. ASSISTÊNCIA DE ENFERMAGEM FRENTE AS ALTERAÇÕES PSICOLÓGICAS OCORRIDAS NO PUERPÉRIO. RMS [Internet]. 21º de fevereiro de 2024 [citado 12º de julho de 2024];6(1):131-8. Disponível em: https://revistamultisertao.com.br/index.php/revista/article/view/717