ASSISTÊNCIA DA ENFERMAGEM AO PACIENTE CRÍTICO ACOMETIDO PELA COVID 19 E MEDIDAS PREVENTIVAS DE CONTÁGIO

  • Jaqueline Ferreira Lima Faculdade de Integração do Sertão, Serra Talhada - PE, Brasil
  • Maria Fernanda Bezerra da Silva Faculdade de Integração do Sertão, Serra Talhada - PE, Brasil
Palavras-chave: Covid 19, Enfermagem, Eepidemiologia, Equipamentos de proteção, Risco de contaminação

Resumo

A emergência da propagação do vírus causador da COVID-19, associada à fragilidade dos sistemas de saúde para atender o aumento da demanda por atendimentos desencadeou grande crise sanitária, humanitária e econômica. Tal crise colocou a segurança dos profissionais que prestam atendimento aos pacientes em estado crítico da doença em risco. Dessa forma torna-se necessária a abordagem sobre adoção de medidas de biossegurança nos serviços de saúde, diante da situação pandêmica que ora se vivencia. Compreender sobre os riscos relacionados à contaminação pelo novo Coronavírus, aos quais os profissionais da enfermagem estão expostos na assistência ao paciente crítico acometido por COVID-19, como também das medidas preventivas de contágio mais utilizadas no cotidiano de trabalho. Trata-se de um estudo descritivo, transversal, retrospectivo com abordagem qualitativa. A estrutura metodológica deste trabalho fundamenta-se na revisão integrativa da literatura que consiste em reunir e sintetizar de maneira sistemática e ordenada, de forma que contribua para o aprofundamento do conhecimento do tema. O instrumento de investigação foi a busca avançada à base de dados eletrônicas do portal Regional da BVS, do Google Acadêmico, e da PubMed. Mediante seleção final foram incluídos 14 estudos que atenderam aos critérios estabelecidos para compor a amostra. A percepção dos autores foi classificada em medidas preventivas e Riscos relacionados à contaminação da COVID 19. Os resultados indicam riscos para os profissionais em relação à contaminação devido ao contato direto com o paciente ou indireto em superfícies contaminadas. Risco ampliado devido a insuficiência de EPI e de orientações para o uso e descarte adequados. Como também os profissionais estão vulneráveis ao adoecimento mental. As medidas de segurança são voltadas a contenção física e biológica, adotando estratégias como distanciamento social e uso de EPIs, a rigorosa higienização, com água e álcool 70º e especialmente atividades de suporte psicológico, para desenvolver autocontrole e ações educativas com a adoção de protocolos de segurança para uma padronização das atividades de modo a minimizar os riscos de falhas nos procedimentos que podem aumentar a insegurança dos profissionais. O preparo técnico, com atividade educativa para a adoção de protocolos de atendimentos, melhorias nas condições de trabalho, com o fornecimento de materiais suficientes, além de suporte psicológico aos profissionais são medidas fundamentais para o atendimento seguro aos pacientes acometidos pela COVID-19 em estado crítico.

Publicado
2024-02-15
Como Citar
1.
Ferreira Lima J, Bezerra da Silva MF. ASSISTÊNCIA DA ENFERMAGEM AO PACIENTE CRÍTICO ACOMETIDO PELA COVID 19 E MEDIDAS PREVENTIVAS DE CONTÁGIO. RMS [Internet]. 15º de fevereiro de 2024 [citado 25º de abril de 2024];6(1):49-. Disponível em: https://revistamultisertao.com.br/index.php/revista/article/view/708